NavCargo

DICAS PARA EVITAR ATRASO NO DESEMBARAÇO

DICAS PARA EVITAR ATRASO NO DESEMBARAÇO DE SUA MERCADORIA.

O processo de importação é lento e longo. Isso não é novidade para ninguém, não é mesmo?

A questão toda é quando ocorre algum atraso não previsto ao longo do processo. Esse é um fato que pode gerar problemas sérios para o importador.

Quais problemas podem surgir de atrasos no desembaraço de sua mercadoria?

A lista de problemas que podem surgir por conta de um atraso no desembaraço de mercadoria é imensa.

Comprometimento do seu prazo com o cliente final

Esse talvez seja o problema que gera mais preocupação. Geralmente, quando importamos, trazemos a mercadoria já vendida.

Ou seja, já existe uma negociação amarrada por um contrato, que muitas vezes, pode trazer um prazo apertado para disponibilização da mercadoria.

E por se tratar de contrato, um atraso no prazo pode gerar multa diária, a depender da negociação.

Sem falar no desgaste com o cliente, podendo até perdê-lo por conta de um atraso.

Custo de armazenagem extra

Além do comprometimento do seu prazo com o cliente final, um atraso no desembaraço de sua mercadoria pode ocasionar custo extra de armazenagem.

Após a chegada da carga e enquanto a carga não é desembaraçada, ela precisa ficar em algum lugar, não é mesmo?

Pois bem, ela fica em armazenada em um terminal aguardando desembaraço.

Só que aqui entra um detalhe bem importante!

Quando a carga entra em um terminal, ela gera uma cobrança de estadia por um determinado período de tempo.

Se extrapolamos esse período, é calculado uma nova cobrança por um período adicional. E isso segue adiante até o desembaraço e retirada da carga do terminal.

Bom, é o tipo de custo que não desejamos, não é mesmo?

Demurrage

Esse é um custo que frequentemente ocorre e onera o processo de importação.

Primeiro de tudo, demurrage, no processo marítimo, é o valor cobrado por dia pelo armador quando o importador extrapola o prazo de devolução do container vázio.

Em chartering, demurrage é uma penalidade paga pelo afretador quando ele excede o laytime allowed, ou seja, o tempo que ele tem para completar a operação de carga ou descarga .

Alguns fatores que podem causar o demurrage são:

  • Espera do navio na barra por falta de berço livre;
  • Atraso na entrega da carga;
  • Falta de transporte para receber ou entregar a carga no costado;
  • Quebra de guindastes de terra;
  • Falta de desembaraço aduaneiro.

Perdas de negociações importantes e interferência na reputação da empresa

Aqui temos um combo explosivo e bem problemático, tão importante quanto o primeiro problema relatado.

Na verdade, esses dois problemas aqui são consequências do primeiro, não acha?

Se eu tenho uma importação, cuja mercadoria em transporte já foi vendida e está amarrada por um contrato, obviamente, estou tendo um risco muito grande.

Tenho esse risco, pois tudo pode acontecer ao longo do trajeto.

Pode acontecer do navio pegar fogo, afundar, container cair ao mar, ou qualquer outro tipo de desastre natural ou não natural.

E citei somente navio, mas pode acontecer com qualquer tipo de transporte, seja ele aéreo, marítimo ou terrestre.

Esses riscos ainda são resolvidos com um seguro internacional. Se você quiser saber mais sobre seguro, você pode conferir esse post que fizemos sobre seguro internacional de cargas.

Mas e quando o problema é acometido por algo inesperado. Alguns clientes são compreensivos, mas nem todos.

E um atraso no desembaraço da sua mercadoria pode sim ocasionar na perda do negócio e possívelmente na perda do cliente.

Em efeito cascata, isso pode sim causar uma interferência na reputação da sua empresa se ocorrer constantemente.

Bom listei alguns problemas que o atraso no desembaraço aduaneiro da sua mercadoria pode causar.

Vamos ver algumas dicas para evitar atrasos no desembaraço da sua mercadoria?

Mercadorias devem ser classificadas com precisão

A Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) classifica cada produto com base em suas características e sua natureza mercadológica. É usado amplamente pelos fiscais envolvidos na operação para facilitar o acesso  às informações relacionadas à mercadoria em questão.

Qualquer produto que está sendo importado deve receber o código, pois é através dele que são calculados impostos aplicados e eventuais contigenciamentos, respeitando normas administrativas e acordos internacionais.

Dado a importância desse enquadramento, é fundamental que todas as mercadorias sejam enquadradas corretamente em sua NCM.

Um enquadramento equivocado pode fazer com que a carga fique parada na alfandega e o importador receba multas que, sem dúvida, comprometerão os custos finais da logística.

Em outras palavras, um erro na classificação fiscal pode afetar diretamente o bom andamento de todo o processo de importação.

E na verdade, não é só na classificação, mas na tradução do item também.

Quer saber mais sobre o assunto?

Confira esse post sobre classificação fiscal e descrição da mercadoria.

Declaração de Importação deve ser preenchida corretamente

Se a Declaração de Importação (DI) não for preenchida corretamente, ela deverá ser retificada, submetida a uma nova análise e aguardar o desembaraçado.

Isso, obviamente, pode gerar um atraso significativo na liberação da mercadoria e, consequentemente, para todo o processo.

Dentre vários itens, abaixo uma pequena lista dos principais que precisam de especial atenção no registro da DI.

  • Incoterm;
  • Número da presença de carga;
  • Fatura comercial com assinatura do exportador;
  • Peso bruto;
  • Conhecimento de transporte;
  • Despesas não incluídas no conhecimento de transporte;
  • Descrição da mercadoria na DI deve ser compatível com a LI e fatura comercial;
  • Caso o produto importado seja maquinário, deve incluir o modelo e número de série do item.
  • Incluir informações de recolhimento de alguma multa nos dados complementares da DI;

Implemente o Compliance na sua empresa

O Termo Compliance é designado para à devida verificação e atenção relacinadas às normas e legislações válidas para todos os processos de cada departamento.

No caso do Comércio Exterior, diz respeito a verificação das normas e legislações válidas para processos de importação e exportação.

Para isso, a cada etada do processo de importação ou exportação, é preciso que seja verificado:

  • Se a mercadoria está autorizada pelos órgãos competentes;
  • Se a documentação exigida está em dia;
  • Se os selos necessários foram aplicados;
  • Se a carga está devidamente embalada;
  • Se as exigências sanitárias foram atendidas;

O controle em cada etapa precisa ser minucioso. Não pode faltar documentação ou constar de maneira equivocada.

É preciso lembrar que cada mercadoria, assim como, cada país de origem, conta com padrões de autorizações diferentes e específicos, por isso da necessidade de um controle minucioso.

Se houver um compliance efetivo, a carga jamais retornará à origem ou ficará parada por conta de problemas documentais. Ou seja, dessa forma evitariamos diversos prejuízos ao importador.

Seja um acompanhante assíduo do Siscomex

Ainda que você não seja responsável pela realização direta do processo de importação, sugiro fortemente que mantenha o sistema Siscomex instalado em seu computador.

Nele, é possível acompanhar o desempenho do seu representante logístico através do cumprimento dos prazos.

Dessa forma, evita-se atrasos através de uma intervenção ativa caso seja detectado alguma inconformidade.

Tenha um excelente sistema ERP

Tenha um excelente sistema de gestão. Gerenciar processos de importação por meio de um sistema específico, garante uma comunicação mais efetiva entre os envolvidos, mais produtividade, melhor compliance e acredite, sua vida será um pouquinho mais fácil.

Nada pode tirar a emoção que sentimos diariamente no Comércio Exteiror.

Mas a possibilidade de acompanhar todos os processos de importação, confere ao usuário maior segurança no cumprimento das etapas; uma visão mais precisa e global sobre as negociações internacionais realizadas.

Com um bom sistema de gestão, evitamos:

  • Falhas de comunicação;
  • Menor controle de prazos de importação;
  • Problemas relacionados ao planejamento e execução dos serviços logísticos.

Sempre que possível, realize a conferência física dos itens importados

Um bom sistema de gerenciamento é importante e pode alinhar todas as demandas da importação. Mas, ele não faz milagres, não é mesmo?

Ainda assim, é fundamental que exista a conferência física das cargas importadas para garantir que não exista nenhum problema.

Sempre que possível, é recomendado acompanhar a conferência física dos itens no recinto alfandegado.

Essa prática garante que a negociação foi cumprida dentro dos parâmetros desejados, sane pontualmente eventuais divergências e, principalmente, evita que a carga retorne ao destino.

Contrate um bom agente de carga

Toda a burocracia, regulamentos e normas que envolvem os processos de importação e expotação são extremamente complexos e possuem detalhes que facilmente podem passar despercebidos.

Por isso, é fundamental que as empresas que desejam atuar ou já atuem com importações ou exportações no Brasil tenham um bom agente de carga.

O agente de carga irá facilitar a logística e agregar segurança a sua operação. A função dessa empresa é garantir que nenhuma questão legal ou operacional seja negligenciada.

Conte com um especialista no desembaraço de mercadoria

Tal qual é importante ter um bom agente de carga, é muito importante ter um despachante aduaneiro para facilitar a burocracia envolvida no envio ou recebimento de mercadorias.

O papel desse profissional é fundamental para operacionalizar as informações relacionadas a legislações, normas e garantir que toda a operação sai nos moldes previstos.

Por isso, o despachante aduaneiro irá:

  • Preparar todos os documentos pertinentes ao desembaraço da mercadoria;
  • Sugerir classificações fiscais e orientar sobre tratamentos administrativos necessários ou não;
  • Representar a empresa perante os órgãos anuentes e fiscalizações;
  • Participar de todos os procedimentos, logísticos, comerciais, tributários e aduaneiros;
  • Identificar e estudar as normas específicas do produto que será nacionalizado;
  • Otimizar procedimentos, antecipar eventuais problemas e solucioná-los com rapidez;

 

Esse tipo de profissional/empresa regulariza o desembaraço da mercadoria, enquadra em seus devidos regimes e classificaçã 

Um bom operador logístico conhece as peculiaridades de cada item e de seu mercado, agiliza procedimentos e prevê possível problemas, antecipando suas soluções.

Por isso, não negligencie seus operadores logíticos. Faça sua escolha considerando a expertise de seu prestador e não o preço.

Espero que tenha gostado desse posto e quero te fazer uma pergunta:

Você adota algumas dessas dicas em sua logística?

 

A Navcargo cuida de todo o processo logístico de Operações de Comércio Exterior para você

Fundada há 15 anos, a Navcargo se tornou um excelente agente de carga.

Conta com uma equipe de profissionais qualificados com larga experiência que busca oferecer a todo momento uma solução ideal para a sua operação de comércio exterior, por isso viabiliza diversos processos logísticos e burocráticos.

NavCargo é habilitada na prestação de serviços com foco em melhoria contínua nas atividades de Comércio Exterior.

Buscamos a constante satisfação dos nossos clientes. Sempre.

Estamos preparados para coordenar todas as etapas do transporte internacional de cargas da sua empresa com absoluta confiança, tanto aéreo, marítimo e rodoviário.

Entre em contato conosco e fale com um especialista. Solicite uma cotação sem compromisso.